O Bafta, conhecida como o Oscar inglês, é a cerimônia que sinaliza o que esperar da mais importante premiação americana, marcada pra 4 de março. O prêmio de ator revelação de 2018 (aqui chamado Estrela em Ascensão, versão de Rising Star) foi para Daniel Kaluuya. Merecido. Protagonista de Corra!, o filme de humor negro, terror, comédia e outros surpreendentes detalhes mais, Kaluuya não só é revelação, mas é peça fundamental para que o filme tenha a força que realmente chamou a atenção de todo o mundo.

Corra! é mesmo essa mistura de gêneros. Difícil definir. Kalluya (também em Sicario – Terra de Ninguém) é Chris, um jovem negro que namora uma moça branca e tem pela frente um fim de semana na casa da namorada para conhecer sua família. À primeira vista, a diferença da cor da pele não é uma questão, mas a trama vai se desenrolando, coisas estranhas começam a acontecer e nada será como antes.

Tudo surpreende em Corra! – o título, por sinal, é uma tradução do original Get Out, que está mais pra “fuja!” do que qualquer outra coisa. E esse é o movimento: fugir da casa, fugir das pessoas, fugir do racismo, fugir da mentira. O filme do diretor estreante Jordan Peele é uma sátira ácida sobre o preconceito velado entre aqueles que se dizem livre desse mal. No fundo, escancara o quanto a sociedade é dissimulada e sádica. Macabro. Não só prende a atenção, como prende você na cadeira. Fugir será uma árdua tarefa.

 

Escrito por