A Câmera de Claire tem algo de experimental – e é mesmo. O diretor sul-coreano Hong Sang-soo filmou, durante o Festival de Cannes, a história que conta o caso da bela jornalista, que é demitida em pleno festival porque a chefe tem ciúme dela com um diretor de cinema, com quem está tendo um caso.

No meio dessa cena entra Claire, a camaleoa Isabelle Huppert (também em As Falsas Confidências), que é professora de música e poeta, vai à Cannes acompanhando uma amiga e segue fotografando quem encontra pela frente. Segundo ela, fotografar é preciso, já que é uma maneira de registrar um momento único – segundos depois de feita a foto, a pessoa fotografada já não é mais a mesma. É o processo da formação da imagem – daquilo que já não somos mais, e daquilo que queremos mudar. Sutil, despretensioso, mas lento, é verdade. Quase que um passeio pelos bastidores dos festival.

É do diretor Hong Sang-soo o lindo e artístico O Dia Depois. Duas linguagens distintas pra falar das relações humanas do amor. Complexas, bem complexas.

Escrito por