O diretor israelense Amos Gitai, sempre com um cinema engajado, apresentou dois novos filmes no 75º Festival de Veneza nesta semana. Um curta, A Letter to a Friend in Gaza, e um longa, A Tramway in Jerusalem. Ambos chamando a atenção para a intolerância e as complexas questões no Oriente Médio.

Aproximação, filme de 2007, com Juliette Binoche, também traz os conflitos. Vale conferir aqui no Looke. Embora o título remeta à separação, ao sofrimento, a escolha de Aproximação, em português, remete a algo positivo, perdendo parte importante e rica do significado do filme e das intenções do diretor. Disengagement remete a rompimento, sinalizando no sentido contrário de “aproximação”. Digo isso porque o que ficou para mim de mais forte e intenso no filme é o enfoque na família multifacetada, dividida pelas distância física, mas principalmente pelas escolhas da vida – que tenta sim uma retomada, mas a própria história se encarrega de tornar isso impossível.

Estamos falando aqui da realidade vivida pelos judeus que moram nos assentamentos em plena Faixa de Gaza e dos judeus que há muito deixaram Israel e se espalharam pelo mundo. Ana (Juliette Binoche) encontra o irmão na França por ocasião do enterro do pai, retoma uma antiga história de abandono e se vê indo para a Faixa de Gaza para reencontrar a filha num assentamento judeu. A separação e o rompimento a que me refiro é mostrado com força no filme, já que o exército israelense precisa retirar os judeus dos territórios palestinos, o que acontece totalmente a contragosto. Essa retirada é o que mais impressiona, pelo rompimento que isso causa entre os habitantes e sua terra, entre os israelenses e suas raízes, entre pessoas do mesmo povo em situações opostas. Sem falar do fato exaustivamente debatido da disputa por território entre os dois povos.

Apesar dos planos às vezes um pouco longos, Aproximação registra esse contrassenso e o desencontro entre as pessoas de uma mesma família, uma desilusão sem tamanho. A segunda metade do filme nos faz parar para pensar que mundo é aquele, que traz essa grande dose de tristeza. Essa é a melhor delas.

Escrito por