Agora você já pode assistir no Looke a um dos melhores filmes do lendário diretor britânico Ridley Scott (‘Gladiador’, ‘Thelma & Louise’, ‘Blade Runner’, ‘Alien’, ‘Falcão Negro em Perigo’): Perdido em Marte, que recebeu 7 indicações ao Oscar em 2016 (incluindo melhor filme, ator, roteiro adaptado e efeitos visuais) e venceu os prêmios de melhor filme e melhor ator (Matt Damon) no Globo de Ouro do mesmo ano (além da indicação a melhor diretor).

 

No filme, o astronauta Mark Watney (Matt Damon) é enviado a uma missão em Marte. Após uma severa tempestade, ele é dado como morto pela sua equipe e acorda sozinho no misterioso planeta, sem saber como retornar à Terra. Esperança e engenhosidade serão as únicas ferramentas que ele terá na tentativa de enviar um sinal à Terra. E o pior de tudo: mesmo que consiga se comunicar, a missão de resgate demoraria anos para acontecer, obrigando Watney a sobreviver sozinho e sem recursos por todo esse tempo em solo marciano. Parece impossível, certo? Assista para descobrir.

 

O primeiro ponto de destaque é a incrível atuação de Damon, que se assemelha ao trabalho de Tom Hanks em ‘Náufrago’ e passa grande parte da história conversando consigo mesmo. Apesar do grande protagonismo de Damon e de seu brilho como astro principal (ou seria astronauta?), o elenco também conta com tantos grandes nomes de Hollywood quanto um filme poderia, um feito que só diretores do nível de Scott conseguem realizar: Jessica Chastain, Sean Bean, Kristen Wiig, Jeff Daniels, Michael Peña, Kate Mara, Sebastian Stan, Chiwetel Ejiofor, Benedict Wong, Mackenzie Davis e até Donald Glover.

 

Capaz de provocar as mais distintas emoções em lindas sequências de cenas, as quase duas horas e meia de filme passam voando. A ótima trilha sonora traz hits clássicos dançantes de dar inveja a ‘Guardiões da Galáxia’, ideais para injetar aquele ânimo de sobrevivência no astronauta. A bela fotografia se mantém fiel ao tema de Marte, com cores quentes e tons avermelhados combinados ao branco dos equipamentos tecnológicos e o preto do espaço sideral.

 

Por fim, a produção também é muito feliz na difícil missão de contrastar o espetáculo intergalático com os dramas mundanos de um personagem extremamente convincente e real em Mark Watney. Em Perdido em Marte o entretenimento é garantido. Afinal, quem não gosta de ver um ser humano enfrentando os maiores desafios do universo apenas com sua inteligência e um rolo de fita silver tape?

Escrito por