Acabou de estrear no Looke um dos filmes mais premiados de 2020, o longa 1917, um drama de ação dirigido por Sam Mendes, que se inspirou nas histórias de guerra contadas por seu próprio avô. O filme se passa em abril de 1917, na Frente Ocidental da Primeira Guerra Mundial. Dois soldados britânicos são enviados para entregar uma mensagem urgente a um regimento isolado. Se a mensagem não for recebida a tempo, o regimento entrará em uma armadilha e será massacrado. Para chegar ao regimento, eles precisarão atravessar o território inimigo. O tempo é essencial e a jornada será repleta de perigos.

 

Pelo fato de o tempo (ou a falta dele) ser o ingrediente essencial para contar essa história, Mendes muito acertadamente apostou em fazer um filme montado apenas por planos-sequência, sejam eles 100% reais ou apenas aparentes, com cortes escondidos. Plano-sequência, em cinema e audiovisual, é um plano que registra a ação de uma sequência inteira, sem cortes. Em 1917, eles têm o objetivo de fazer com o que a jornada dos protagonistas seja acompanhada em tempo real e se torne o mais imersiva possível. As sequências visam deixar o espectador totalmente dentro da história, deixá-lo envolvido e, em certos momentos, até tenso. O plano mais longo do filme chega a ter 9 minutos de gravação direta, fora os planos com cortes escondidos que passam a impressão de serem ainda maiores.

 

Filmes com planos-sequência bem realizado são, em geral, produto de grandes trabalho de direção, que precisa planejar tudo com perfeição, tarefa aqui incrivelmente realizada por Sam Mendes. Mas não só de uma grande direção se fazem planos-sequência de qualidade. Em 1917 também é preciso exaltar o trabalho árduo dos atores George MacKay e Dean-Charles Chapman, que precisaram de muito preparo físico e muito ensaio para realizar as sequências sem erros e ainda passando a emoção necessária. Outro trabalho importante é do diretor de fotografia Roger Deakins, que chegou a construir maquetes iluminadas dos cenários para treinar os movimentos de câmeras, pois a câmera e a iluminação são essenciais para contar essa história.

 

1917 fez grande sucesso na temporada de premiações e foi indicado a dez Oscars em 2020, dos quais ganhou três nas categorias de Melhor Fotografia, Efeitos Visuais e Mixagem de Som. Foi indicado ainda para Melhor Filme, Direção, Roteiro Original, Maquiagem e Cabelo, Design de Produção, Trilha Sonora Original e Edição de Som. Além disso venceu dois dos prêmios mais importantes do Globo de Ouro, os de Melhor Filme de Drama e de Melhor Direção.

 

Um filme simplesmente imperdível, clique aqui e assista! Além de 1917, no Looke você encontra também outros filmes com ótimos planos-sequência. Confira:

 

  • Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) – Do vencedor do Oscar de Melhor Direção Alejandro G. Iñárritu. Riggan (Michael Keaton), um frustrado ator de uma famosa franquia de super-heróis, tenta reerguer sua carreira montando um musical na Broadway, porém terá de enfrentar a equipe, os críticos e seu próprio ego. Vencedor do Oscar de Melhor Filme.

 

  • O Jogador – Do diretor Robert Altman. Griffin Mill (Tim robbins), um executivo de estúdio pressionado por série de fracassos de bilheteria consecutivos, começa a receber ameaças anônimas. Obcecado com as mensagens, ele mata o roteirista que acredita ser o responsável e tenta driblar as investigações policiais.

 

  • Festim Diabólico – Do mestre do suspense Alfred Hitchcock. Brandon e Philip matam David Kentley, um colega da escola preparatória, apenas para terem a sensação de praticar um assassinato e provar que conseguem realizar o crime perfeito. Para desafiar os amigos e a família, resolvem convidá-los para uma reunião no apartamento deles, onde colocam a comida encima de um baú e dentro está o corpo da vítima.

 

  • La La Land – Cantando Estações – Do vencedor do Oscar de Melhor Direção Damien Chazelle. Ao chegar em Los Angeles o pianista de jazz Sebastian (Ryan Gosling) conhece a atriz iniciante Mia (Emma Stone) e os dois se apaixonam perdidamente. Em busca de oportunidades para suas carreiras na competitiva cidade, os jovens tentam fazer o relacionamento amoroso dar certo enquanto perseguem fama e sucesso.

 

  • O Segredo dos Seus Olhos – De Juan José Campanella. Após trabalhar a vida toda num Tribunal Penal, Benjamín se aposenta. Seu tempo livre o permite escrever um romance baseado num acontecimento que vivera anos antes. Em 1974, foi encarregado de investigar um violento assassinato. Ao escavar velhos traumas, Benjamín confronta o intenso romance que teve com sua antiga chefe, assim como decisões e equívocos passados. Com o tempo, as memórias terminam por transformar novamente sua vida. Grátis para assinantes do Vídeo Club.

 

Escrito por